quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Abrantes. O ruído produzido no quarto de pensão ao lado do nosso ouvia-se perfeitamente, graças aos respiradouros das casas de banho contíguas de ambos os quartos.
O jovem casal que víramos registar-se minutos antes divertia-se com os prazeres do sexo. Pelo menos a julgar pelos gemidos desmesurados e o ranger apressado duma cama mal apertada.
Mas foi sol de pouca dura. Intenso porém breve, o jovem garanhão logo se satisfez num orgasmo gritado.
Instalou-se então o silêncio apenas cortado com esta queixa:
- Bruto. Ias-me dando cabo da cona !

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial